Curta nossa p?gina!
#

Projetos

JARDIM DAS ARTES Educação, arte e cultura em Mario Campos MG

Saiba Mais






Newsletter

Nome:
E-mail:

Imagens

 

 

IV SEMINÀRIO DA IMIGRAÇÃO ITALIANA EM MINAS GERAIS





A quarta edição do Seminário aconteceu em ocasião da celebração de 120 anos da imigração italiana em São João del-Rei que completou 300 anos em 2005, sendo uma das mais antigas cidades de Minas Gerais.

No final do século XIX, São João del-Rei recebeu um número significativo de imigrantes, em sua maioria italianos. Para recebê-los, o governo imperial organizou em 1888 uma hospedaria cujo edifício, hoje sede do Centro Cultural da UFSJ, é  tombado pelo patrimônio histórico.



Nos antigos núcleos coloniais de São João del Rei - as Colônias Giarola, Felizardo, Recondengo, Maçal e Bengo - reside ainda hoje um grande número de descendentes italianos que possuem suas próprias associações: a APRAFAC - Associação de Produtores Rurais e Agricultura Familiar das Colônias e a AMACIG - Associação de Moradores e Amigos da Comunidade do Giarola. Parceiros do evento, eles participam do Seminário com a Exposição de Fotos da Imigração Italiana em São João del Rei, realizada em parceria com o Projeto Cidade Memória, desenvolvido por Maria Lúcia M. Guimarães e Bethânia M. Guimarães, professoras da UFSJ -Universidade Federal de São João del-Rei. 
  
 
  

COMISSÃO ORGANIZADORA


Coordenação acadêmica: José Maurício de Carvalho Professor titular da Universidade Federal de São João Del Rei e membro do Instituto Brasileiro de Filosofia, do Instituto de Filosofia Luso-brasileiro e da Academia São-joanense de Letras. Possui graduação em Psicologia (1980), em Filosofia (1983) e Pedagogia (1984) pela UFSJ; mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1986) e doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (1990).

Coordenação Geral: Giusi Zamana, Gestora cultural e presidente da Associação PONTE ENTRE CULTURAS-MG, Coordenou as três primeiras edições do Seminário e outros projetos e evento culturais em diversas cidades de Minas Gerais, entre os quais o Festival Ponte entre Culturas.

Anísio Ciscotto, Presidente em exercício da ACIBRA-MG (Associação Cultural Ítalo Brasileira), pesquisador, bacharel em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (2004) e pós-graduado em História e Culturas Políticas pela UFMG (2005).

Produção Local: Alzira Agostini Haddad, Coordenadora da ATITUDE CULTURAL projetos sócio-culturais, especialista em: Revitalização Urbana pela UFMG  - Universidade Federal de Minas Gerais; Conservação, Valorização e Gestão de Bens Culturais pelo IILA – Instituto Ítalo Latino Americano Desenvolvimento.


CONFERENCISTAS CONVIDADOS

Emilio Franzina é Professor Titular de História contemporânea na Universidade de Verona (Itália) e autor de muitos livros sobre a história dos séculos XIX e XX e sobre a emigração. Colabora com diversas revistas, entre as quais “Belfagor” e “Quaderni Storici”; integra o comitê cientifico de algumas outras (Altreitalie, Studi Emigrazione, Italia Contemporanea, etc); é fundador e diretor do Arquivo Histórico da Emigração Italiana e Presidente do Instituto Veronese de História da Resistenza e de História Contemporânea.

Federico Croci é doutorado em História Contemporânea pela Universidade de Gênova (2007) com a tese “A porta pelas Américas: Migrações italianas a São Paulo: cartas de chamada e reunificações familiares” e professor convidado da Universidade de São Paulo. Professor de História da Emigração na Faculdade de Letras da Universidade de Genova (2002-2203). Seu campo de estudos privilegiado é a epistolografia autobiográfica popular.

Márcio Galdino é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais e dedica-se à pesquisa histórica com ênfase no Cinema. Tem publicado diversos trabalhos em periódicos e também ensaios como O Cinéfilo Anarquista. Carlos Drummond de Andrade e o Cinema, 1991. Já recebeu alguns prêmios nacionais, o último dos quais Prêmio Afrânio Coutinho da Academia Brasileira de Letras, 2007, com o ensaio Bastidores Revolucionários - O estado da cultura no Brasil no período de 1945 a 1965 retratado na Coleção Franklin de Oliveira.


O PROJETO DO SEMINÁRIO.

O Brasil, tradicionalmente um país de imigrantes, deve sua unidade cultural, geopolítica e social às diversas tradições culturais que aceitaram conviver e compartilhar de valores e experiências múltiplas, constituindo assim uma sociedade multicultural.

Desse modo, a compreensão da identidade nacional contemporânea passa, necessariamente, pelo resgate dessas diversas matrizes culturais, pela valorização de suas trajetórias, de suas interações e transformações na sociedade brasileira.

No caso de Minas Gerais, o historiador britânico Kenneth Maxwell descreveu a sociedade mineira do final do século XVIII como “um complicado mosaico de grupos e raças, de novos imigrantes brancos e de segunda e terceira gerações de americanos natos, de novos escravos e de escravos nascidos em cativeiros".

O final do século XIX foi marcado por uma expressiva imigração de italianos que iniciaram a chegar ao Estado na década de 1880 e se dirigiram principalmente para Juiz de Fora e Zona da Mata, para Barbacena, São João Del Rei, região das Vertentes e para o sul de Minas.



No livro de Luiz Carlos Biasutti, Arlindo Loss e Everaldo Loss: “Roteiro dos italianos e de seus descendentes em Minas Gerais”, publicado em maio de 2003, os autores reuniram 5.497 nomes de famílias italianas, só em Belo Horizonte. Este  número, acrescido aos dados de cidades do interior de Minas, ultrapassa as 23.000 famílias, o que faz crer que a atual população ítalo-descendente em todo o Estado se aproxime de 1.500.000  pessoas.

Em 2005, a Associação Ponte entre Culturas desenvolveu o projeto do Seminário sobre Imigração Italiana em Minas Gerais que, com freqüência anual, objetiva estimular e divulgar pesquisas sobre o assunto, no intuito de reunir um banco de dados e de informações que permitam delinear um mapa histórico-geográfico da presença italiana no estado.

O I Seminário, do título: “Reflexos da Imigração Italiana na construção da Identidade Mineira: uma Ponte entre o Passado e o Presente ”, foi realizado em 24 de setembro de 2005 no Museu Histórico Abílio Barreto em Belo Horizonte e reuniu cerca de 220 pessoas. Entre eles pesquisadores, professores e estudantes de diferentes áreas, familiares e descendentes de imigrados italianos.

 
   
O evento foi promovido pela Associação Ponte entre Culturas - MG em parceria com o Departamento de Historia da Universidade Federal de Minas Gerais e o  Comitê da Imigração Italiana em Minas Gerais, Tocantins e Goiás, tendo o apoio do Consulado da Itália e da Prefeitura de Belo Horizonte e o patrocínio do Patronato INCA-CGIL, da Itália.

O “II Seminário sobre Imigração Italiana em Minas Gerais” aconteceu nos dias 21 e 22 de outubro de 2006 na cidade de Barbacena – MG. Foi promovido pela Associação Ponte entre Culturas-MG, em parceria com a Agência Consular Honorária de Barbacena e o Comitê da Imigração Italiana de MG, TO, GO, teve o apoio do Consulado da Itália de Belo Horizonte, da Prefeitura de Barbacena e de numerosos parceiros locais; foi realizado graças aos benefícios da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e de patrocinadores privados.
  
  

O evento obteve grande êxito e visibilidade, alcançando seus principais objetivos: descentralizar o evento, favorecendo a participação da população de outros municípios do Estado, e reunir contribuições diversas, não apenas acadêmicas e cientificas, mas, sobretudo, pesquisas e depoimentos de ítalo-descendentes sobre a própria história.

Entre os 250 inscritos, havia pessoas de todas as camadas sociais, ítalo-descendentes, italianos e brasileiros, provenientes dos municípios de Barbacena, António Carlos, Barroso, Itauna, São João Nepomuceno, Muriaé, Juiz de Fora, São João del Rei, Astolfo Dutra, Belo Horizonte, Pequeri, Itueta, Leopoldina, Ubá, Cataguazes, Poços de Caldas, Viçosa, bem como das cidades de São Paulo e de Rio de Janeiro.
  
  

A terceira edição do Seminário aconteceu em Juiz de Fora, nos dias 26, 27 e 28 de outubro de 2007, contemplando um intenso ciclo de conferências às quais participaram cerca de 200 pessoas entre pesquisadores e docentes, italianos e brasileiros, estudantes universitários, e público em geral. A cidade de Juiz de Fora foi escolhida pela participação marcante dos imigrados italianos na história da cidade e da região denominada Zona da Mata.

O Seminário teve como ponto central o papel dado pelos italianos ao desenvolvimento socioeconômico e à formação cultural de Minas e do Brasil. Organizado pela Associação Ponte entre Culturas, pela Oscip PERMEAR e pela Universidade Federal de Juiz de Fora, o evento contou com o patrocínio da FIAT , da Fapemig e do Consulado da Itália, e com o apoio da Casa d’Itália, da Agência Consular Italiana e da Fundação Municipal de Cultura de Juiz de Fora.
   
  

© copyright 2008. Ponte Entre Culturas